ACESSE

Deputada denunciada por rachadinha manteve servidora que acumulava três cargos

Telegram

A deputada federal Iracema Portella, do PP do Piauí, manteve em seu gabinete durante oito meses uma servidora que acumulou outros dois cargos públicos, nos governos do Piauí e do Distrito Federal, informa Helena Mader na Crusoé.

A prática é vedada pela Constituição e caracteriza improbidade administrativa. Neste mês, Portella foi denunciada pela PGR por participação em um suposto esquema de rachadinha.

A deputada do Centrão nomeou a psicóloga Emanuela Dourado Rabelo Ferraz para o seu gabinete em outubro do ano passado. Ela ficou lotada na Câmara dos Deputados até a última sexta-feira, quando foi exonerada — ganhava R$ 5,5 mil, entre funções e auxílios.

No mesmo período, ela ocupou o cargo de superintendente operacional do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do governo do DF, com remuneração de R$ 24,8 mil.

Como se não bastasse o acúmulo ilegal dos dois cargos públicos, Emanuela também constou como servidora do governo do Piauí durante todo o período em que esteve lotada na Câmara dos Deputados. A psicóloga ocupou um cargo de assessora da representação do estado na capital federal, com vencimentos de R$ 5,6 mil.

Leia mais aqui.

Leia mais: Estreia de Moro na 'Crusoé': assine com desconto especial e ganhe um ebook sobre o ex-juiz da Lava Jato

Comentários

  • Hermani -

    Cadê meu comentário, aprenderam com Alexandre Morais censurar,"OS comentários não representam a opinião do site; à responsabilidade é do autor da mensagem" eu desmonto à notícia jornalista, triste!!!!

  • Hermani -

    Gabinetes *

  • Orlando -

    Vale lembrar que essa pouca-vergonha ela aprendeu com o ex-marido Ciro Nogueira, o pilantrão do centrão e hoje amigo do peito do enganador e enrolado Bolsonaro.

Ler 16 comentários