Deputado apresenta versão fluminense do Escola Sem Partido

O deputado estadual Fábio Silva, do DEM, apresentou na Assembleia Legislativa a versão fluminense do Escola Sem Partido.

Diz O Globo:

“Os termos são os mesmos: combater a doutrinação de gênero, política e ideológica”.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Quem é que precisa mais do mesmo? Vamos aprovar a primeira versão e, então, partirmos para a verdadeira luta. A luta da transformação cultural no ensino médio e nas universidades.

Ler mais 26 comentários
  1. Quem é que precisa mais do mesmo? Vamos aprovar a primeira versão e, então, partirmos para a verdadeira luta. A luta da transformação cultural no ensino médio e nas universidades.

  2. Moral, ética e cidadanias como respeito, honestidade, obediência às leis, … são matérias doutrinárias e não constam dos programas dos partidos políticos nem entidades sindicais…

    1. , se este não acolhe o discurso socialista “utópico” e descaradamente manipulador, da aparência ” do bem”, mesmo que aja evidências de mentiras e estupidez. Processo longo…

    2. Júlio, não há mais doutrinação, o que hoje existe é o reforço na mudança do senso comum que foi psiquicamente agredido e sujeitado por técnicas de saturação que faz o jovem sentir-se mal

    1. Não se formam bons profissionais com ideologia. Toda área tem sua importância, o que não pode é valorizar uma área, e desvalorizar outras. O ensino é importante para o País.

    1. Não se sabe nem o que são, ou o que querem ser… Deixem as crianças crescerem. Demora para amadurecer. É assim mesmo a vida. Será que não é por aí que não respeitam nem os professores?

    2. Tem tempo para tudo. O ensino é gradual. Não se pode atropelar a natureza das coisas, mostrar aos alunos o que os pais não querem. Quem educa é a família. A escola ensina conteúdo.

    1. Primeiro tem que assimilar conteúdo útil para a vida. Depois que compreendeu analisa, é quando souber algo faz um julgamento. Tão seguindo a ordem errada.

    2. Não pago professor para emitir opinião ou pensamento crítico seu comuna de merd@, meus impostos são p/ ensinar matemática, quimica, física, geografia, etc. Vai se masturbar no seu partido d bost

    3. Professor entra na sala de aula para ENSINAR. O pensamento crítico ele manifesta na Sala dos Professores. Os alunos podem criar seu “próprio ” senso critico. E autonomamente.

  3. Só baboseira pra desviar o foco daquilo que importa… Enquanto isso, nos bastidores do Bacen, do BNDES e demais órgãos, só roubo bilionário, informação privilegiada, negociatas espúrias…