Deputado que votou pelo perdão às igrejas reclama das sessões remotas

O deputado Jerônimo Goergen (PP) foi um dos 345 deputados que votaram, em julho, pelo jabuti que garantiu o perdão das dívidas das igrejas.

Ele disse que votou “consciente”, mas ponderou que, nas sessões remotas, “temos pouca gente mandando” no processo legislativo e nem sempre se sabe dos acordos que estão sendo feitos no plenário.

“Eu votei consciente, segui a orientação da bancada. O problema é o que é acordado como destaque. Não estou justificando meu voto: votei e pronto. Mas este é o risco: a qualidade legislativa caiu com essas sessões remotas. Nós temos pouca gente mandando e corre-se este risco: entra um projeto grande, aí no meio há os destaques e a gente não sabe o que estão negociando em plenário.”

No fim de abril, Goergen havia dito:

“Pode perdoar as igrejas, não tem problema nenhum. Mas o produtor rural é quem produz neste país.”

Leia mais: TCHAU, TOFFOLI
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 14 comentários
TOPO