Deputado suspeito de organização criminosa tenta derrubar acusação no STF

Eleito no ano passado para a Câmara, o deputado federal Valdevan Noventa (PSC-SE) tenta derrubar no Supremo ação em que é réu por falsidade na contabilidade de sua campanha e organização criminosa.

No ano passado, Valdevan foi preso, mas conseguiu liminares no TSE para conseguir a diplomação e depois no STF para deixar a cadeia. Derrubou depois o uso de tornozeleira eletrônica para poder trabalhar na Câmara em Brasília.

O Ministério Público diz que ele tem relação com PCC e não tem ligações com a região na qual foi eleito. Ele nega as acusações e diz que aguarda com confiança e serenidade a decisão do STF.

Segundo as investigações, após as eleições do ano passado, Valdevan recebeu 86 depósitos de R$ 1.050 de doadores sem capacidade financeira.

Ele tenta anular toda a ação, alegando que o caso não deveria tramitar na Justiça Eleitoral, mas no próprio STF. Nesta semana, a Raquel Dodge pediu ao ministro Celso de Mello para negar o pedido.

“Os fatos em análise são inteiramente estranhos ao exercício de tal mandato parlamentar, pois referem-se a situações exclusivamente de natureza eleitoral, associadas especificamente ao pleito eletivo de 2018 […] O crime sequer foi praticado em período que coincida com o mandato parlamentar federal, pois o reclamante não exercia, à época, cargo eletivo na Câmara”.

PT quer Lula voltando a ser voz ativa no tabuleiro político. Vai conseguir? LEIA AQUI

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Ricardo disse:

    Eh presidente do sindicato no qual meu pai eh funcionario, um safado.... nao so ele, mais todos q estao juntos, nomes conhecidos de SP e dos irmaos tatto.

Ler comentários
  1. Omala disse:

    Figura conhecida dos "parças" da ZSul - SP, Taboão da Serra e Embu (junto com o seu atual prefeito Nei S***os).

  2. gilberto disse:

    PCC ? TSE liberou diplomação, STF liberou da cadeia e tirou tornozeleira. Entendi.

  3. Nelson disse:

    São tantos os deputados (513) na câmara federal que existem dificuldades em guardar seus nomes. Esse e muitos outros eu desconhecia, apesar de acompanhar os trabalhos do plenário pela televisão.

  4. Marcelo disse:

    Mais um Macunaíma, daquele tipo "comigo não acontece!".

  5. Marcello1 disse:

    É uma loteria! Tantos criminosos já tiraram a sorte grande no STF! Vai saber que bicho vai dar!

  6. Elias disse:

    Sempre essa M.E.R.D.A de stfZINHO , o prazer desses 11 indivíduos é defender BANDIDOS POLÍTICOS , esse stfZINHO é uma vergonha