Deputado pediu investigação por curtida de Túlio Gadêlha em post sobre facada em Bolsonaro

No mesmo inquérito aberto pela Polícia Federal para apurar manifestações de Guilherme Boulos e do jornalista Ricardo Noblat sobre Jair Bolsonaro nas redes sociais, o deputado federal José Medeiros (Podemos) pediu que o também deputado Túlio Gadelha (PDT), namorado de Fátima Bernardes, fosse alvo de investigação.

No documento, enviado em 22 de abril a Augusto Aras e a Sergio Moro, então ministro da Justiça e da Segurança Pública, Medeiros diz que Gadelha curtiu, no Twitter, o comentário de uma seguidora que sugeria “dar uma facada verídica” no presidente da República.

“É impensável que um deputado federal estimule qualquer tipo de violência e tentativa de homicídio contra o presidente da República. Tal fato não é engraçado, não é legal, e não merece curtida por parte de um membro do Parlamento”, argumentou o deputado.

Leia aqui a íntegra do documento.

Boulos e Noblat já foram intimados, como noticiamos, no âmbito do mesmo inquérito aberto pela PF com base nesses pedidos feitos por Medeiros. Túlio Gadêlha, que tem foro privilegiado, porém, até aqui, não recebeu qualquer intimação.

Leia mais: Combo O Antagonista e Crusoé: comece a ler por apenas R$ 1,90/mês
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 37 comentários
TOPO