ACESSE

Desembargador da carteirada nega carteirada e acusa guardas de abuso de autoridade

Telegram

Eduardo Siqueira, o desembargador do TJ-SP que humilhou os guardas municipais de Santos que lhe aplicaram uma multa por andar sem máscara, alega que os agentes cometeram “abuso de autoridade”.

A manifestação foi enviada ao Conselho Nacional de Justiça pela defesa do “desembargador da carteirada”, que negou ter dado uma carteirada.

Na petição, ele disse que é “vítima de verdadeira armação”, pois os vídeos que circulam sobre ele foram editados e gravados pelo mesmo guarda. Segundo ele, houve filmagens em “dezenas” de abordagens, mas só foram divulgadas as filmagens em que “houve altercações”.

Siqueira disse que sua reação ao chamar os guardas municipais de “analfabetos” se deveu à sua indignação com o “desrespeito a questões jurídicas”.

O magistrado alegou ainda já ter sido abordado por agentes municipais, em ocasiões anteriores, por andar sem máscara na cidade e disse que o uso obrigatório do equipamento exigido por decreto é inconstitucional.

As respostas do desembargador foram enviadas ao CNJ após o órgão abrir uma reclamação disciplinar.

Leia mais: Foro privilegiado: o STF dividido de novo

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 70 comentários