Desembargador que vendia decisões no plantão é condenado a 13 anos de prisão

Telegram

O Superior Tribunal de Justiça condenou o desembargador do TJ do Ceará Carlos Rodrigues Feitosa pelo crime de corrupção passiva, em razão da venda de decisões liminares durante plantões judiciais.

Ele deverá cumprir 13 anos e 8 meses de prisão em regime fechado.

Entre 2012 e 2013, de acordo com o MPF, o desembargador comandou um esquema de venda de sentenças para soltar criminosos. As decisões eram discutidas pelo WhatsApp.

Herman Benjamin, relator da ação penal, disse que Feitosa “fez do plantão judicial do Tribunal de Justiça do Ceará autêntica casa de comércio”.

Comentários

  • José -

    lá pelas bandas do Ceará a coisa anda , bem diferente dos RJ da vida com seus Chefes de Milícias e outros QUEIROZES da vida ....

  • Lucas -

    13 em homenagem ao PT? Só 13 anos??? O cara fatura MILHÕES deixando crimonosos soltos e só pega isso?? Deus é mais...

  • Regildo -

    E a relação entre PT e PCC do Ceará, denunciada por Palocci?

Ler 89 comentários