Desembargador vai responder no CNJ por discurso contra medidas de isolamento

Desembargador vai responder no CNJ por discurso contra medidas de isolamento
Foto: TRE-MS

Um grupo de advogados de Mato Grosso do Sul ingressou com representação disciplinar contra o presidente do Tribunal de Justiça do estado, o desembargador Carlos Eduardo Contar.

Eles pedem que o magistrado seja punido por seu discurso de posse, em 22 de janeiro, quando Contar criticou medidas de distanciamento social para conter a pandemia. Na solenidade, o desembargador condenou o “fique em casa”.

Voltemos nossas forças ao retorno ao trabalho, deixemos de viver conduzidos como rebanho para a morte, daquele que veneram a morte, que propagandeiam o quando pior melhor”, afirmou.

No dia da posse, mais de 300 pessoas — entre autoridades, convidados e trabalhadores do evento — reuniram-se num centro de convenções de Campo Grande.

O representado, violando os deveres da função e do cargo para o qual acabava de ser empossado, desdenhou das medidas de isolamento social (previstas no art. 3º, inciso I e II, da Lei Federal 13.979/2020), fez crítica generalizante e inapropriada à imprensa (esquecendo-se que a liberdade de imprensa é um dos pilares da democracia) e apologia a tratamentos à Covid-19 sem nenhuma eficácia cientificamente comprovada”, dizem os advogados.

Leia mais: Enquanto Brasília faz tudo errado, a Crusoé continuará fazendo o certo: fiscalizando o poder.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO