Desemprego em dois dígitos

O Estadão ouviu a opinião de alguns economistas sobre o desemprego no Brasil e todos concordaram que a taxa oficial deve superar os 10% em 2016.

Tiago Barreira, pesquisador do Ibre/FGV, prevê que esse patamar já será atingido no primeiro trimestre com o fim dos empregos temporários de final de ano. Sergio Vale, da MB Associados, acredita que pode chegar a 12% ao final do primeiro semestre.

Desde maio de 2007 que a taxa de desocupação brasileira não atinge o segundo dígito.