Dilma interpela Bolsonaro no Supremo

Dilma Rousseff apresentou ao STF uma interpelação, para exigir explicações de Jair Bolsonaro sobre uma recente declaração que ele fez em Dallas, insinuando que ela teria participado do assassinato do capitão americano Charles Chandler, em outubro de 1968.

“Quem até há pouco ocupava o governo teve em sua história suas mãos manchadas de sangue na luta armada, matando inclusive um capitão”, disse Bolsonaro em maio, referindo-se a Chandler.

O militar americano tinha 30 anos e estudava no Brasil quando foi vítima de uma emboscada em São Paulo, atribuída a Carlos Marighella e outros guerrilheiros ligados à Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) e à Ação Libertadora Nacional (ALN). Conhecido por palestras e entrevistas na época, ele era considerado um agente da CIA pela esquerda.

Bolsonaro enquadra os generais. CONFIRA

Caso Bolsonaro confirme que, ao lembrar do caso em Dallas, referia-se mesmo ao suposto envolvimento de Dilma, ela, que nega participação no crime, poderá acusá-lo formalmente pelos crimes de injúria, difamação e calúnia.

A interpelação foi encaminhada ao gabinete de Dias Toffoli, que agora poderá enviar ofício ao presidente para que responda aos questionamentos da ex-presidente.

Comentários

  • Silenio -

    Noooossaaaaa eles ainda estão nessa? kkkkkkkkkkk

  • LUIS -

    Já devia estar PRESA!

  • Marcela -

    Essa anta deveria estocar vento !

Ler 133 comentários