Dilma pode repetir Maluf

O Estadão reproduz trechos do depoimento prestado hoje por Paulo Maluf a um juiz auxiliar do gabinete do ministro Luiz Fux, na ação penal em que é acusado de receber doação eleitoral de uma empresa da qual era sócio.

Maluf disse que “candidato não fica no diretório, não fica fazendo a contabilidade de campanha”.

“Eu vou para comícios, vou para feiras livres, vou para supermercados, programas de rádio, de televisão. A gente normalmente sai de casa 7h da manhã e olha lá quando pode chegar em casa 23h ou 24h.”

Se colar, Dilma pode usar essa desculpa nas ações que investigam o financiamento ilegal de sua campanha.

Faça o primeiro comentário