Dilma Rousseff: “Eu sou a Janete”

A Folha de S. Paulo enviou uma repórter a Porto Alegre para entrevistar Dilma Rousseff.

O resultado é constrangedor.

“Ela não fala muito de projetos futuros. Fala menos ainda de política, como se tomasse relativa distância para colocar as coisas no lugar. Também não toca muito no assunto impeachment”.

Sobre o que ela fala?

Sobre telemarketing. Seus únicos interlocutores, aparentemente, são os vendedores das operadoras:

“Às vezes eu finjo ser outra pessoa. Às vezes eu sou a Janete”.

Dilma Rousseff, quando pertencia a um grupo terrorista, usava o codinome Wanda.

Agora, em sua casa de repouso mental, ela é simplesmente Janete.

Faça o primeiro comentário