Dinheiro vivo da Odebrecht

A Folha de S. Paulo entrevistou um marceneiro que trabalhou na reforma do sítio de Lula.

Ele disse que as obras foram chefiadas por um engenheiro chamado Frederico:

“Ele [Frederico] me disse que era da Odebrecht, que a Odebrecht estava comandando aquilo. Fui pago por ele em dinheiro vivo. Me chamou a atenção a abundância de dinheiro na obra. Todo mundo comentava que o sítio seria para o Lula, mas o Frederico nunca me disse isso”.