Diogo Mainardi: a culpa não é do CQC

Diogo Mainardi, na Crusoé desta semana:

“Marcelo Tas negou que o CQC tenha inventado Jair Bolsonaro:

“Eu saí do CQC em 2014, e o Bolsonaro foi eleito em 2018. É surreal alguém achar que nós contribuímos para o Bolsonaro ser presidente, e não os 60 milhões de brasileiros que votaram nele”.

Ele está certo, claro. A culpa não é do CQC, que deu um palco à bufonaria bolsonarista. Ou então do Superpop, de Luciana Gimenez. A culpa é de Lucélia Santos. Minha tese é sempre a mesma: o eleitorado é incapaz de reconhecer a canastrice de nossos governantes porque cresceu vendo Lucélia Santos. Se não fosse por ela, os 60 milhões de espectadores que aplaudiram o espetáculo degradante de Jair Bolsonaro o teriam coberto de tomatadas e ovadas”.

LEIA AQUI a coluna na íntegra, na Crusoé.

Assine a Crusoé em uma condição especial e apoie o verdadeiro jornalismo independente.

Leia mais: Dinheiro nas nádegas: e se você não soubesse disso?
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 33 comentários
TOPO