Dirceu sumiu com os pixulecos

Quando prendeu José Dirceu e sua turma, o juiz Sérgio Moro determinou o bloqueio de todas as contas bancárias em seu nome até o limite de R$ 20 milhões. A ordem judicial incluiu as contas da JD Consultoria, de seu irmão Luiz Eduardo, de sócios e familiares. Mas a Justiça chegou tarde.

Na conta da JD o saldo estava zerado – tudo bem, a empresa foi encerrada em abril. O próprio Dirceu deixou no banco cerca de R$ 100 mil. Pouco para quem faturou 39 milhões. Seu sócio Júlio Cesar deixou cerca de R$ 140 mil.

Mais surpreendentes são os saldos de seu irmão (R$ 13 mil), de seu ex-assessor Bob Marques (R$ 500) e do lobista Fernando Moura (R$ 100).

São muito humildes.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200