“Direito ao silêncio não é direito de destruir provas”

Luiz Fux sai em defesa das conduções coercitivas.

O ministro diz que o instrumento tem sido útil ao resultado do processo penal.

“Direito ao silêncio não é direito de destruir provas, de combinar versões.”

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

Ler mais 3 comentários
  1. por falar em condução coercitiva, o descaramento com que o apito amigo está favorecendo o São Paulo é algo de cadeia.
    Todo jogo, ou é um penalti ou uma expulsão favorecendo o time do Caboclo !!..