Diretor da PF exonera delegada que investiga interferência de Bolsonaro... na PF

Diretor da PF exonera delegada que investiga interferência de Bolsonaro… na PF
Foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

O diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza, dispensou a delegada Christiane Correa Machado da função de chefe do Serviço de Inquéritos da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado (SINQ) – responsável por investigar autoridades com foro especial.

Christiane Machado é quem está à frente do inquérito que apura a suspeita de interferência de Jair Bolsonaro na PF e foi quem encaminhou ao então ministro Celso de Mello ofício para ouvir presencialmente o presidente da República.

Em 8 de outubro, depois de atritos entre Celso e Marco Aurélio, o caso foi a julgamento no plenário, apenas para que o ainda decano votasse pelo acolhimento do pedido.

Em seguida, Luiz Fux suspendeu a votação. Com a aposentadoria de Celso de Mello, o processo foi redistribuído a Alexandre de Moraes, que pediu uma “atualização” da investigação. Até hoje, Bolsonaro não depôs.

Para o lugar de Christiane Machado, foi designado Felipe Alcântara de Barros Leal, que já integrava o grupo.

Mais cedo, registramos que Bolsonaro retomou seu plano de colocar no comando da PF o atual diretor da Abin, Alexandre Ramagem. Rolando deve ganhar um posto de adido no exterior.

Atualização: a assessoria de imprensa da PF diz que Christiane foi quem pediu para deixar a função de chefe do SINQ e garante que seguirá no inquérito de Bolsonaro.

Leia mais: A revista que fiscaliza TODOS os poderes e conta com os melhores colunistas do Brasil.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 277 comentários
TOPO