Diretor da Roquette Pinto desagradou Casa Civil ao não topar indicações políticas

Diretor da Roquette Pinto desagradou Casa Civil ao não topar indicações políticas
(Brasília - DF, 21/07/2019) Ministro de Estado Chefe da Casa Civil da Presidência da República, Onyx Lorenzoni, e sua esposa, Denise Veberling, durante a Celebração Internacional 2019 “Conquistando pelos Olhos da Fé”. Foto: Isac Nóbrega/PR

O diretor-geral da Fundação Roquette Pinto, Francisco Câmpera, avalia que a decisão do MEC de não renovar o contrato com a TV Escola é uma retaliação ao fato de ter resistido a indicações políticas sem qualificação.

Em julho, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, encaminhou ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, os nomes de Marcelo Jander Delaroli e Glenio Josino de Camargo. O primeiro deveria ser nomeado superintendente em Brasília, enquanto o segundo seria seu assessor.

Ex-deputado federal e formado em odontologia, Delaroli (PR) foi acomodado na própria Casa Civil. Com base eleitoral em Maricá, ele foi candidato a vice na chapa de Romário ao governo do Estado.

Josino, por sua vez, é formado em segurança do trabalho e tem curso de escolta armada. É de Salto do Jacuí (RS), foi assessor do Ministério do Trabalho na gestão de Helton Yomura (PTB) e hoje está no gabinete do deputado Eduardo Bismarck (PDT).

Lava Jato coloca a lupa sobre os negócios de Lulinha, que agora é alvo preferencial das investigações. CONFIRA
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO