Dirigentes do Novo de 9 cidades pedem que partido não aprove impeachment

Dirigentes do Novo de 9 cidades pedem que partido não aprove impeachment
Foto: Marcos Corrêa/PR

Líderes de nove diretórios municipais do Novo encaminharam ao diretório nacional um parecer contrário ao impeachment de Bolsonaro.

A assessoria de imprensa do partido confirmou a O Antagonista que o texto foi entregue “extraoficialmente” ao presidente do partido, Eduardo Ribeiro. “Há documentos semelhantes, a favor e contra o impeachment de Jair Bolsonaro, que circulam em grupos no partido, sem nenhum caráter oficial”, informou a assessoria.

“O texto chegou ao WhatsApp de Eduardo Ribeiro apenas com os nomes, sem as assinaturas. E não foi enviado pelos canais oficiais de comunicação do partido”, acrescentou a assessoria.

O parecer obtido pela reportagem não tem data, mas cita notícias acessadas na última quinta (21).

Na última terça (19), em entrevista à Jovem Pan, o candidato do Novo à Presidência da Câmara, Marcel van Hattem, afirmou que “a nossa assessoria técnica da bancada do Novo também tem avaliado todos os pedidos [de impeachment]”. E acrescentou: “Não é algo que nós vemos neste momento”. 

O pronunciamento de van Hattem é citado no parecer dos dirigentes municipais contra o impeachment: “Os pontos acima mencionados são sustentados pela assessoria técnica do Partido Novo na câmara dos deputados, como recém mencionado pelo deputado federal Marcel Van (sic) Hattem”.

O parecer também cita os deputados federais Vinicius Poit e Tiago Mitraud, que ainda não disseram ter enxergado crime de responsabilidade por parte do presidente Bolsonaro.

Poit, por exemplo, twittou em 18 de janeiro: “Caso um processo seja aberto pelo Presidente da Câmara, vamos estudá-lo”.

Tiago Mitraud escreveu hoje mesmo: “Sem o devido parecer, elaborado após defesa do acusado e convocação de testemunhas, não farei antecipação de voto”.

Os dirigentes municipais que assinam a carta contra o impeachment são de Balneário Camboriú (SC), Caxias do Sul (RS), Contagem (MG), Cuiabá, Joinville (SC), Juiz de Fora (MG), Manaus, São José do Rio Preto (SP) e Vila Velha (ES).

“Inexiste amparo para (sic) fático-jurídico para que o partido NOVO proponha a abertura de um processo de impeachment contra o Presidente da República”, diz o texto.

Os signatários pedem ao Diretório Nacional para “ouvir os demais dirigentes e decidir em consenso o que será feito, visando não sobrepor sua decisão aos interesses daqueles que tanto lutam em prol do partido”.

Segundo seu site oficial, o Novo tem hoje 46 diretórios municipais, além de três núcleos municipais (Londrina, Sorocaba e Uberlândia).

Leia mais: O impeachment de Bolsonaro entra na agenda.
Mais notícias
TOPO