ACESSE

Disputa da Heineken por fonte de água vai à AGU

Telegram

O Departamento Nacional de Produção Mineral vive uma guerra de pareceres em processo que envolve a Heineken.

O STJ decidiu que a cervejaria não pode explorar as minas de água que abastecem a fábrica da Bahia. E um parecer da procuradora Paula Castro reconheceu o direito de um empresário local sobre as minas.

Só que um segundo parecer, assinado por Herbert Pereira, ligado ao procurador-geral do DNPM, mantém os direitos da Heineken, apesar da opinião dos técnicos do departamento.

O imbróglio segue agora para a Advocacia-Geral da União.

Comentários

  • João -

    Nossa justiça corrupta mais uma vez fica ao lado dos exploradores da pátria! Justiça vendida e juízes corruptos. As fontes de águas do Brasil pertencem à nação. Vender e deixar explorar é crime de lesa pátria!

  • Victor -

    A unica certeza é que a cervejaria ta metendo dinheiro nesses juizecos pra que permitam o roubo dessa fonte natural.

  • Ernerto -

    Este assunto é muito sério deve ser tratado com todo o carinho, esta é uma das cervejas que mais gosto, é um refligério para o corpo e pra alma.

Ler 33 comentários