Dívidas dos Estados (3)

A dúvida, agora, é se Henrique Meirelles vai abençoar o acordo. Pelo menos da boca para fora, Rodrigo Maia diz que tanto faz.

A jornalistas, afirmou: “Não chamaria os líderes para uma reunião que dependesse do aval do ministro. Somos um poder independente e cada deputado vai votar com sua consciência.”

De qualquer modo, Maia deixou a reunião na Câmara, rumo ao Ministério da Fazenda.

Faça o primeiro comentário