Do BNDES para o JBS, do JBS para Dilma

Antonio Palocci é suspeito de ter ajudado o frigorífico JBS a receber um investimento de 3,5 bilhões de reais do BNDES.

O inquérito sigiloso foi obtido pela Veja.

Diz a reportagem:

“O BNDES comprou 3,5 bilhões de reais em títulos de dívida emitidos pela empresa, chamados de debêntures. Esses papéis foram convertidos em ações da companhia. A transação foi vantajosa para o grupo frigorífico, que não teve que arcar com juros de um empréstimo normal – e ainda ganhou o governo como sócio. O Tribunal de Contas da União já identificou indícios de que essa operação causou prejuízo aos cofres públicos. O caso está sendo analisado.

Em 2010, após receber os recursos do BNDES, a JBS doou 10 milhões de reais para a campanha que elegeu Dilma Rousseff à presidência da República. A vitória da petista nas urnas foi coordenada por Palocci, que logo em seguida foi nomeado como ministro da Casa Civil, em janeiro de 2011″.

Faça o primeiro comentário