Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Documento da CPI mostra que Luís Ernesto Lacombe recebeu R$ 20 mil do governo Bolsonaro

Os dados constam em documentos enviados à CPI da Covid sobre gastos publicitários do governo federal e aos quais O Antagonista teve acesso
Documento da CPI mostra que Luís Ernesto Lacombe recebeu R$ 20 mil do governo Bolsonaro
Foto: Divulgação/Band

O governo de Jair Bolsonaro repassou R$ 20 mil a título de cachê ao apresentador da RedeTV! Luís Ernesto Lacombe, considerado um dos principais defensores do bolsonarismo na televisão aberta.

Os dados constam em documentos enviados à CPI da Covid sobre gastos publicitários do governo federal e aos quais O Antagonista teve acesso. Como mostramos mais cedo, o apresentador Sikêra Jr também foi beneficiado com repasses publicitários por parte do governo que apoia com tanto entusiasmo.

Houve dois repasses a Lacombe: um em janeiro, como cachê pela Semana Nacional de Trânsito; e outro em março, pelo empenho do jornalista na “campanha de conscientização das famílias sobre os riscos de exposição de crianças na internet”.

Os desembolsos ocorreram por meio de subcontratação de serviços de “áudio e vídeo-pagamento de cachê” à empresa Lala Produções LTDA, de propriedade de Lacombe, pela Calia/Y2 Propaganda e Marketing.

A CAlia/Y2 está na mira da CPI da Covid, por ser suspeita de financiar a rede de fake news estimulada pelo governo federal. Como também já noticiamos, até o Itamaraty foi usado para propagar informações falsas em meio à pandemia da Covid.

Em julho do ano passado, Jair Bolsonaro saiu em defesa de Lacombe, após o apresentador pedir demissão da Band. “Luís Lacombe, Leandro Narloch, Caio Coppolla e Rodrigo Constantino possuem algo em comum, que é opinião própria e independência. Isso já é suficiente para serem considerados nocivos dentro de grande parte da mídia”, disse, na época, o presidente.

O Antagonista tenta contato com o apresentador e com a RedeTV!.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO