Doente terminal?

Pedro Barusco, o braço-direito de Renato Duque, revelou à CPI dos Fundos de Pensão que continuou operando o esquema de propinas na Sete Brasil mesmo depois de deixar a empresa.

O que houve com a versão difundida pelo próprio Barusco de que um câncer terminal o impediu de continuar trabalhando?

Faça o primeiro comentário