Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Dossiê de funcionários da EBC relata à CPI da Covid censura na pandemia

Segundo documento, profissionais da estatal de comunicação foram proibidos de informar coisas como polêmica sobre cloroquina e risco de segunda onda
Dossiê de funcionários da EBC relata à CPI da Covid censura na pandemia
Foto: Agência Brasil

Um dossiê encaminhado à CPI da Covid acusa a direção da Empresa Brasil de Comunicação —a ex-“TV do Lula“, hoje “TV do Bolsonaro“— de censurar informações de interesse público sobre a pandemia, relata o portal Metrópoles.

O material com as denúncias foi enviado por servidores públicos ao relator da CPI, Renan Calheiros, e deve ser aproveitado no relatório final do colegiado.

O documento tem 119 páginas e lista episódios nos quais teriam ocorrido interferência ilegal no trabalho dos profissionais. Em algumas casos, segundo o dossiê, essas ações ajudaram a reforçar discursos negacionistas em relação à doença.

Segundo a denúncia, no ano passado, os profissionais de comunicação da EBC foram proibidos por algum tempo de falar na segunda onda da pandemia, mesmo quando cientistas já alertavam para uma nova onda de casos no país.

Também se determinou enfatizar o “placar da vida”, criado pela Secom para realçar o número de infectados pelo vírus que se recuperavam, e não dar destaque às mortes pela doença —hoje próximas de 600 mil.

O dossiê segue dizendo que as redes sociais foram proibidas de postar qualquer assunto que tivesse viés negativo sobre a pandemia, “mesmo aqueles produzidos pela própria casa”, e que os repórteres de rádio do turno da tarde foram proibidos de cobrir a CPI da Covid.

De acordo com o documento, as proibições também incluíram “citar a polêmica em torno da cloroquina em reportagens”; reproduzir declaração do presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, dizendo que se arrependera de ter participado de aglomeração com Jair Bolsonaro; e postar a foto da primeira pessoa vacinada no Brasil, por se tratar de “iniciativa do governador João Doria”, inimigo político do presidente.

Sempre segundo o dossiê, questionamentos feitos por Luiz Henrique Mandetta em seu depoimento na CPI da Covid também não foram exibidos, assim como se evitou dar destaque à crise do desabastecimento de oxigênio em Manaus.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO