​É a reforma ou a morte

Em entrevista ao Estadão, Marcelo Caetano, secretário da Previdência do Ministério da Fazenda, apresenta um cenário assustador.

Ou o Brasil reforma o sistema, ou terá de promover um aumento na carga tributária equivalente a 10% do PIB para cobrir o rombo. São R$ 600 bilhões.

Não restam muitas dúvidas sobre o que é preciso fazer.