“É assim que nossos magistrados tratam o mundo do crime?”

Como registramos mais cedo, Michel Temer encaminhou ao STF manifestação, no âmbito de ação movida pela Associação dos Magistrados Brasileiros, defendendo a cassação de aposentadorias de juízes condenados.

O Antagonista lembra que há uma PEC parada na CCJ da Câmara desde 2012, de autoria dos deputados Rubens Bueno (PR) e Arnaldo Jordy (PA), ambos do PPS, “para vedar a concessão de aposentadoria como medida disciplinar e estabelecer a perda de cargo de magistrado nos casos de quebra de decoro”.

Como não houve interesse por parte dos parlamentares em avançar com essa proposta, a indecorosa ação da AMB chegou ao STF.

“Um juiz criminoso, quando condenado, poderá receber como pena máxima sua aposentadoria compulsória, com todos os direitos garantidos para o resto da vida. É assim que nossos magistrados tratam o mundo do crime?”, questiona Bueno.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Lucas Silva seu veado petralha fdp, pega esse LAMPIÃO REI DO CANGAÇO + Renato45 e outras aberrações e enfia no meio desse seu cu petralha arrombado seu BURRO inútil! Seu COCÔ petralha. Maloqueiro!

Ler mais 24 comentários
  1. Lucas Silva seu veado petralha fdp, pega esse LAMPIÃO REI DO CANGAÇO + Renato45 e outras aberrações e enfia no meio desse seu cu petralha arrombado seu BURRO inútil! Seu COCÔ petralha. Maloqueiro!

  2. São coisas distintas. A punição se refere ao fato ilícito e provado. A aposentadoria não decorre, em si, da punição, mas das contribuições previdenciárias feitas. Não à toa q a aposent. é proporcional

  3. E se for previdência privada, como todos a partir de 2013 ou tenha optado pelo Funpresp. Confisco de bens como pena? Mesmo que não sejam produtos de corrupção? Sensatez é bom.

  4. Esse é um dos problemas do Brasil, o Judiciário. O mais corporativo, ineficiente e comprometido com as causas que não interessam a nação. Vivem nababescamente e a relação custo/benefício é baixíssima.

  5. NÃO! Isso é que o país permite que assim aconteça. Um médico pode perder o diploma e o emprego, um policial é expulso e todos respondem a processo. Um juíz é “punido” sendo afastado da mordomia.

  6. Essa rede que sustenta, amplia, protege e fomenta os crimes na magistratura, bem como os de poderosos de outras esferas de poder; tem encontrado guarida no STF, em vez de julgamento e punição!…

  7. A notícia está errada. Administrativamente, juízes e membros do MP não podem perder o cargo. Todavia, caso sejam condenados judicialmente, eles podem e efetivamente perdem o cargo.

    1. Oh companheiro!. Perdem o cargo mas recebem o resto da vida uma aposentadoria equivalente ao salário da ativa. Vai gastar na Grécia gozando da nossa cara.

  8. Qual categoria de funcionário público quer perder seus privilégios?, o país derretendo por falta de recursos, e o STF quer aumento de salário, e ai sociedade brasileira, pode?.

  9. Não é bem assim. Há um mês, o Tribunal de Justiça de São Paulo decretou a perda do cargo e dos vencimentos, evidentemente, de dois magistrados condenados criminalmente. A compulsória é só uma etapa.

  10. Bolsonaro vem aí e vamos acabar com essa imoralidade. Juiz que for pego atuando em prol de bandidos deve perder o cargo e aposentadoria, só assim eles poderão deixar de contribuir para crime.

  11. Geraldo temer ORCRIMin, Geraldo lulalau ORCRIMin, Geraldo trensalão ORCRIMin, Geraldo paulo preto ORCRIMin, Geraldo cunhado ORCRIMin, Geraldo beiçola ORCRIMin, Geraldo centrão da corrupção ORCRIMin