Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

"É bala de prata", diz senador da CPI, sobre alertas a Bolsonaro de irregularidades na Covaxin

Mais cedo, O Antagonista revelou que deputado Luis Miranda (DEM-DF) mostrou ao presidente pressão sobre o Ministério da Saúde para compra da vacina indiana
“É bala de prata”, diz senador da CPI, sobre alertas a Bolsonaro de irregularidades na Covaxin
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Integrante titular da CPI da Covid, o senador Otto Alencar (PSD-AM) disse a O Antagonista que a revelação de que Jair Bolsonaro foi alertado sobre irregularidades na compra da Covaxin é uma “bala de prata”.

“Claro que é bala de prata. Lembra quando [Eduardo] Pazuello falava em pressões por um pixuleco? Pronto. O pixuleco agora bateu na cabeça do ex-ministro. Ele vai ter muito o que explicar”, afirmou.

Como mostramos mais cedo, o deputado Luis Miranda (DEM-DF) se reuniu com Bolsonaro em janeiro no Palácio do Planalto para mostrar a pressão dentro do Ministério da Saúde para adquirir a vacina indiana, cuja dose é a mais cara negociada no Brasil, vendida a US$ 15. O prazo para entrega expirou e nenhuma dose chegou.

O contrato foi fechado em fevereiro, ainda durante a gestão de Pazuello na pasta. Ao deixar o cargo, o ex-ministro disse que recebeu pedidos de “pixuleco” e chegou a ser ameaçado de morte.

“Chegou no fim do ano, uma carreata de gente pedindo dinheiro politicamente. Todos queriam um pixuleco no final do ano”, disse o general.

A O Antagonista, Otto Alencar disse que, agora, a CPI “chega a uma fase mais importante que é rastrear o dinheiro”. “Estamos no rumo certo.”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO