“É condenável”, diz Marco Aurélio sobre cartório ter omitido dados de Flávio

“É condenável”, diz Marco Aurélio sobre cartório ter omitido dados de Flávio
Foto: Nilson Jr/SCO/STF

O ministro Marco Aurélio Mello disse ao Estadão que é “condenável” o fato de o cartório onde Flávio Bolsonaro registrou a compra da mansão ter omitido informações da escritura do imóvel.

O cartório, como mostramos, rasurou os valores referentes à composição da renda de Flávio e da esposa Fernanda. Também omitiu dados como os números dos documentos de identidade, CPF e CNPJ das partes envolvidas. 

É tudo muito ruim em termos de avanço cultural. A boa política pagou um preço incrível, abandonando a transparência e a publicidade. Algo condenável a todos os títulos”, afirmou o ministro do STF.

Vem-nos da Constituição Federal, do artigo 37, que atos administrativos, como no caso o ato do cartório, são públicos, visando ao acompanhamento pelos contribuintes e a busca de fiscalização que desague na eficiência. É incompreensível a omissão. E por quê? Por que omitir? Há alguma coisa realmente que motiva esse ato, porque nada surge sem uma causa.

Leia mais: O furo de reportagem de O Antagonista sobre a mansão comprada por Flávio Bolsonaro em Brasília é dissecado na edição desta semana da Crusoé
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO