É fantástico

O Fantástico de domingo passado mostrou imagens chocantes de um comerciante de tapetes de São Paulo sendo espancado e ameaçado com arma de fogo por um investigador da Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo.

A atitude de José Camilo Leonel foi considerada “claramente criminosa” pela Secretaria de Segurança Pública, que afastou o servidor por 180 dias e abriu um processo administrativo para apurar o episódio.

Camilo Leonel não atua apenas como investigador de polícia. Até dias atrás, ele dava expediente no sexto andar do número 365 da rua Plínio Barreto, sede da Qualicorp.

Funcionários e ex-funcionários da empresa ouvidos por O Antagonista disseram que Camilo Leonel atua como chefe da segurança da empresa, tendo à disposição sala e equipe, cuidando do transporte de dinheiro e documentos.

Camilo Leonel atuaria também como uma espécie de segurança pessoal de José Seripieri Júnior.

O Antagonista procurou a assessoria de imprensa da Qualicorp sobre a relação com o investigador de polícia, mas não obteve resposta.

Faça o primeiro comentário