É o amor

José Eduardo Cardozo cita Eduardo Cunha 536 vezes nas alegações finais apresentadas ontem à comissão especial do impeachment de Dilma Rousseff.

O Antagonista acha que pode ser amor.