“É o possível hoje”

O argumento mais citado por quem defende a renegociação das dívidas dos Estados: o acordo fechado hoje não é perfeito, mas é o possível. O resto, que seja debatido entre a União, os governadores e suas respectivas assembleias estaduais.

Faça o primeiro comentário