E se foi um jornalista?

Quem entregou parte da delação premiada de Nestor Cerveró a André Esteves? Se foi um jornalista, e essa é apenas uma especulação que circula em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, ele cometeu crime, visto que ajudou o banqueiro a tentar obstruir o trabalho da Justiça.

Coisa bem diferente é um jornalista obter, sem a troca de vantagens materiais, um documento sigiloso de interesse público (como parte da delação de Nestor Cerveró), apenas para divulgá-lo por meio do órgão em que trabalha. Nesse caso, o jornalista estará cumprindo o seu papel de informar. A jurisprudência é vasta nesse sentido.

O Antagonista espera que não haja um jornalista metido nessa história com André Esteves.

Faça o primeiro comentário