E segue o decano…

Marco Aurélio e Ricardo Lewandowski interromperam Celso de Mello para endossar o discurso contrário à prisão de condenados em segunda instância.

Logo, o decano retomou seu raciocínio de “presunção de inocência”.

Faça o primeiro comentário