Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

É um dever cívico barrar Bolsonaro

É um dever cívico dos cidadãos conscientes impedir os delírios golpistas de Jair Bolsonaro, diz o editorial do Estadão
É um dever cívico barrar Bolsonaro
Reprodução/Facebook/Jair Bolsonaro

“O presidente alimenta o devaneio de transformar o Brasil num país de pequenos Bolsonaros, gente para quem os únicos deveres cívicos são os deveres familiares”, diz o Estadão, em editorial.

“O caos resultante dessa perversão moral é precisamente o que busca Bolsonaro em seus delírios golpistas. Deseja um país em que nada é confiável, nem as vacinas nem as urnas. No mesmo pronunciamento em que duvidou da eficácia das vacinas, o presidente elaborou uma mirabolante teoria segundo a qual o Supremo Tribunal Federal mandou soltar Lula da Silva para fazê-lo presidente, e insinuou que a Justiça Eleitoral impede o ‘voto auditável’ justamente para facilitar a fraude em favor do petista. E previu que esse desfecho pode ‘criar uma convulsão no Brasil’, obviamente provocada por ele mesmo. É dever cívico dos cidadãos conscientes impedi-lo.”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO