É urna, mas pode chamar de máquina de lavar

Ao registrar propina como doação oficial, empreiteiras e a ORCRIM transformaram as eleições em uma imensa lavanderia, como revelou a Lava Jato. O risco, contudo, é que a prática continue. É o que alerta Miguel Reale Júnior, em artigo publicado pelo Estadão. Leia:

“Ao se fazer doação legal com dinheiro de propina, correspondente, por exemplo, a parcela de sobrepreço de contrato de estatal com empreiteira, transforma-se importância suja em valor limpo, utilizando a Justiça Eleitoral como lavanderia. A aprovação das contas pelo Tribunal Eleitoral apenas comprova o sucesso da operação de branqueamento do valor contaminado pela corrupção. O dinheiro sujo vem a ser reintroduzido no mercado mediante uso indevido da Justiça Eleitoral.”

Faça o primeiro comentário