Eduardo Bolsonaro acusa Kim Kataguiri de calúnia, injúria e difamação

Eduardo Bolsonaro acusa Kim Kataguiri de calúnia, injúria e difamação
Fotos: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Eduardo Bolsonaro apresentou à Justiça do DF queixa-crime contra Kim Kataguiri por calúnia, injúria e difamação.

A petição foi assinada nesta quinta (4) pela advogada Karina Kufa.

Em 18 de dezembro, no Plenário da Câmara, Kataguiri desafiou o presidente Bolsonaro a processá-lo.

“Ele faz alianças para proteger o filho quadrilheiro, corrupto e vagabundo. E eu quero que fique registrado que não só o filho, mas o presidente da República, são quadrilheiros, corruptos e vagabundos”, disse Kataguiri, ao microfone. E depois:

“Atenção ministro da Justiça: eu desafio Vossa Excelência, eu estou cometendo agora um crime contra a honra do presidente da República, para que fique registrado nos anais da Casa. Vagabundo, corrupto e quadrilheiro. Se tiver coragem, me processa que a gente vai discutir o mérito de cada uma dessas três acusações que eu faço ao presidente da República e ao filho do presidente da República no tribunal”, acrescentou.

A partir de 2 de fevereiro deste ano, quase diariamente, Kataguiri foi ao Twitter para repetir: “Bolsonaro é corrupto, vagabundo e quadrilheiro”. No dia 10, perguntou: “Cadê o processo, Bananinha?”.

Em um vídeo em seu canal no YouTube em 23 de fevereiro, reagindo a uma gravação de Eduardo, Kataguiri afirmou: “Melhor ser moleque do que ser ladrão”.

Para Karina Kufa, “[a] leitura das publicações efetuadas pelo Querelado demonstra que, para além da mera descrição de atos antijurídicos falsamente atribuídos ao Querelante, a forma como tal comunicação foi realizada excedeu os limites impostos pelo ordenamento pátrio”.

No texto, a advogada enfrenta assim a questão da imunidade parlamentar de Kataguiri: “[É] evidente que a mera imputação ilícita que o Querelado faz ao Querelante, acusando-o do cometimento de crimes, não guarda qualquer relação com seu mandato parlamentar, tampouco ao interesse que venha a resguardar o Povo brasileiro”.

Hoje, Kataguiri foi ao Twitter comentar a ação: “Depois de 30 dias que o Eduardo Bananinha disse que iria me processar, finalmente a ação foi distribuída. Infelizmente, foi um processo criminal, ou seja, se ele perder não vai ter que pagar meus advogados. Churrasco cancelado”.

Leia mais: Assine a Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.
Mais notícias
TOPO