Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Girão diz entender Pazuello: "CPI virou sessão de tortura"

Para o senador do Podemos do Ceará, o ex-ministro da Saúde "vai buscar a Constituição, tendo em vista o que está acontecendo" na comissão
Girão diz entender Pazuello: “CPI virou sessão de tortura”
Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

O senador Eduardo Girão (Podemos), titular da CPI da Covid, disse a O Antagonista que “queria muito” que Eduardo Pazuello comparecesse à comissão na próxima quarta-feira (19) e prestasse depoimento “como todos os outros”.

“Queria muito que ele fosse. O jogo está sendo jogado. E o adiamento do depoimento já não tinha pegado bem para o general”, afirmou.

Girão, no entanto, ponderou que entende a preocupação de Pazuello, que acionou o STF para poder ficar silêncio e não correr o risco de ser preso. No início da noite de ontem, a Advocacia-Geral da União apresentou um habeas corpus alegando que o militar não pode sofrer constrangimento ilegal em razão de suas opiniões sobre a pandemia.

“Eu entendo, porque a CPI é uma sessão de tortura, um tribunal de inquisição. Virou uma sessão de terrorismo aquilo ali: é um ameaçando que vai prender, outro induzindo resposta, outro intimidando. O relator, Renan Calheiros, chega a dizer uma coisa que o depoente não disse. É um negócio escandaloso. Então, o cara vai buscar a Constituição, tendo em vista o que está acontecendo. É um jogo político. A credibilidade da CPI está indo para o espaço.”

O ministro do STF Ricardo Lewandowski foi sorteado para analisar os dois HCs apresentados até aqui sobre o tema.

Leia mais: O furo de reportagem de O Antagonista sobre a mansão comprada por Flávio Bolsonaro em Brasília é dissecado na edição desta semana da Crusoé
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO