“Ei, Mauro, vai tomar…”

Ninguém contou essa, mas O Antagonista conta.

Quando Dilma Rousseff se recusou a receber na última hora a credencial do embaixador da Indonésia, ela recebeu uma ligação de Mauro Vieira. O ministro argumentou que não era possível cometer tamanha falta de respeito com um país amigo e por aí vai.

Resposta da presidente da República Federativa do Brasil: “Vai tomar no cu”.