Eike lançou perspectivas 'fraudulentas' no mercado, diz condenação

Eike lançou perspectivas fraudulentas no mercado, diz condenação
CPIBNDES - CPI do BNDES realiza reunião para ouvir depoimento o empresário fundador do grupo EBX, Eike Batista. Em pronunciamento, empresário Eike Fuhrken Batista da Silva. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Ao condenar Eike Batista, a juíza Rosália Monteira Figueira levou em conta provas de que o empresário, antes de lançar no mercado ações da OGX, sabia que a companhia não iria explorar quatro 4 campos de petróleo que eram anunciados em informes públicos no início de 2013…

“Mesmo ciente dessa informação, o acusado continuou a lançar ao mercado perspectivas que, mais do que otimistas, mostraram-se fraudulentas, eis que induziu os investidores a erro, enquanto, ao mesmo tempo, desfazia-se de suas ações da OGX (período de 24/05/2013 a 10/06/2013) e da OSX, em 19/04/2013, o que demonstrou a intenção do acusado de manipular o mercado de capitais”, diz trecho da sentença.

A plataforma FPSO OSX-2, destinada a produção de petróleo dos campos Tubarão, Tigre, Gato e Areia, ficaria fundeada na Ásia e não seria deslocada para o Brasil, conforme registros da empresa, conforme registros de uma reunião interna da OSX em abril de 2013.

Exclusivo: a PF já sabe que o hacker Vermelho usou "ajudante" para tentar vender mensagens roubadas da Lava Jato. CONFIRA
Mais notícias
TOPO