ELEIÇÕES 2020: a corrida pela eleição suplementar ao Senado em Mato Grosso

No dia do primeiro turno das eleições municipais, em 15 de novembro, eleitores de Mato Grosso também elegerão quem vai suceder no Senado a Juíza Selma — que trocou o PSL pelo Podemos –, cassada por caixa dois e abuso de poder econômico.

Jair Bolsonaro escolheu para ser sua candidata a policial militar Rúbia Fernanda de Oliveira Santos (Patriota). “Ela é policial militar, mulher e evangélica. Vamos buscar elegê-la”, disse o presidente. Quem costurou o apoio de Bolsonaro foi o ex-deputado federal Victório Galli, também do Patriota.

Carlos Fávaro (PSD), que ocupou a vaga de Selma provisoriamente por ter sido o terceiro mais bem votado ao Senado em 2018, é ex-vice governador do estado e tem o apoio da família Maggi. Ele também espera o apoio, ainda que velado, do atual governador, Mauro Mendes (DEM).

Também está no páreo Otaviano Pivetta (PDT), atual vice-governador. Ele é ex-deputado estadual e ex-prefeito da rica cidade Lucas do Rio Verde. Tem o apoio do ex-deputado federal Adilton Sachetti, de boa parte da Assembleia Legislativa e de partidos como PCdoB, PV, PSB e Republicanos.

O PSDB lançou o ex-deputado federal Nilson Leitão, que tem base eleitoral no município de Sinop e anda dizendo que tem o apoio institucional de Brasília — ministérios do Meio Ambiente e da Agricultura. Tem como primeiro-suplente Júlio Campos (DEM), irmão do senador Jayme Campos (DEM) e dono de televisão no estado. Também tem o apoio do PL do senador Wellington Fagundes, cujo assessor ficaria com a segunda suplência.

Em voo solo pelo Podemos, o deputado federal José Medeiros tentou até o último minuto o apoio de Jair Bolsonaro, de quem é base no Congresso. Medeiros foi senador entre 2015 e 2019, após ocupar a vaga de Pedro Taques, que à época havia sido eleito governador do estado. Taques, aliás, que trocou o PSDB pelo Solidariedade, também poderá ser candidato.

O PSL deverá confirmar na disputa o deputado estadual Elizeu Nascimento. Já o PT vai para a briga com o também deputado estadual Valdir Barranco.

O advogado Euclides Ribeiro (Avante), sócio do grupo ERS, que ganhou muito dinheiro em processos de recuperação judicial no estado — ele participou de mais de 2 mil casos –, também quer a vaga da Juíza Selma. Ele recebeu o apoio de Gisela Simona (Pros), que desistiu da eleição suplementar para tentar a Prefeitura de Cuiabá.

Outro milionário na corrida pelo Senado é o empresário Reinaldo Moraes (PSC), conhecido como “o rei do porco”. Ele também tentou, sem sucesso, o apoio de Bolsonaro. Coligou com o PRTB e vai tentar pegar uma fatia do eleitorado evangélico.

Leia também:

ELEIÇÕES 2020: a corrida pela Prefeitura de Recife

Leia mais: A 'proposta milionária' para votar com o governo.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Seja o primeiro a comentar
TOPO