ELEIÇÕES 2020: a corrida pela Prefeitura de João Pessoa

A corrida pela Prefeitura de João Pessoa, ao que tudo indica, será em dois turnos.

O atual prefeito, Luciano Cartaxo, está concluindo seu segundo mandato. Ele foi eleito pelo PT, em 2012, pulou para o PSD e acabou no PV, que lançou como candidata a professora Edilma Freire, ex-secretária municipal de Educação.

Cartaxo preparou três secretários para sucedê-lo, ensaiou lançar um deles, mas optou por Edilma, que é casada com um irmão de sua mulher — ou seja, é sua concunhada –, o que provocou um terremoto político na Prefeitura.

O PP — do deputado federal Aguinaldo Ribeiro, líder da maioria na Câmara, e da senadora Daniella Ribeiro, que são irmãos — confirmou o nome de Cícero Lucena, velho conhecido do eleitorado local: já foi prefeito da capital, senador, vice-governador e governador da Paraíba. Larga com o apoio do atual governador, João Azevêdo, que trocou o PSB pelo Cidadania em meio à Operação Calvário.

Lucena tem garantia de aliança com o PTB do deputado federal Wilson Santiago, que foi afastado do cargo em dezembro do ano passado, mas voltou às atividades no Congresso em fevereiro, graças a uma vergonhosa decisão dos pares.

Ricardo Coutinho (PSB), acredite se quiser, não desistiu completamente de concorrer à Prefeitura de João Pessoa. Ele sonha, inclusive, em ser o candidato único da esquerda, que pode ser representada na disputa também pelo deputado estadual Anísio Maia (PT). Não seria surpresa se Coutinho acabasse apoiando Edilma, a candidata do atual prefeito.

O radialista local Nilvan Ferreira é o candidato do MDB, que, por enquanto, faz voo solo.

O PSDB, da família Cunha Lima, apostará no deputado federal Ruy Carneiro. Os tucanos provavelmente conseguirão coligar com o PSD, após um acordo envolvendo a disputa em Campina Grande, segunda maior cidade do estado.

Com uma candidatura em busca de ascensão, o DEM, do deputado federal Efraim Filho, optou por Raoni Mendes, que foi, em 2012, o vereador mais bem votado da capital paraibana. Há uma expectativa no estado para a confirmação, nos próximos dias, da aliança de Raoni com o PSL, que cogitou ter o deputado federal Julian Lemos como candidato. O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB) também deve pular nesse barco.

O PL, do líder do partido na Câmara, Wellington Roberto, e o Republicanos, do deputado federal Hugo Motta, ainda não decidiram o que fazer, sendo que o segundo tende a apoiar Edilma Freire.

O vereador João Almeida, do Solidariedade, foi lançado pré-candidato, mas está sendo cortejado para ser vice em alguma outra chapa.

Já o delegado Wallber Virgolino é a aposta do Patriota, ainda sem alianças. Ele brigará com Raoni Mendes pelos votos bolsonaristas — em 2018, Jair Bolsonaro derrotou Fernando Haddad em João Pessoa.

Leia também:

ELEIÇÕES 2020: a corrida pela Prefeitura de Recife

ELEIÇÕES 2020: a corrida pela Prefeitura de São Paulo

ELEIÇÕES 2020: a corrida pela eleição suplementar ao Senado em Mato Grosso

ELEIÇÕES 2020: a corrida pela Prefeitura de Fortaleza

Leia mais: O Centrão quer dominar sua cidade. Entenda como
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 4 comentários
TOPO