Eleitor que votou com arma na mira da PF

A Polícia Federal realizou hoje ações para investigar crimes cometidos no domingo.

O UOL diz que está na mira da PF um eleitor de Jair Bolsonaro, do Paraná, que publicou nas redes sociais um vídeo em que aparece apertando as teclas 1 e 7 das urnas com uma arma.

Além de porte ilegal de arma, ele incorreu no crime eleitoral de violação do sigilo de voto.

O ocaso de Maduro: vai sair ou 'ser saído'? Leia aqui

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 52 comentários
  1. Violação de sigilo de voto? Mas quem está violando o sigilo é a polícia ao identificá-lo. O sigilo é para garantir que o eleitor não seja identificado e não o voto. O crime quem está cometen

  2. 1º – Quem garante que é eleitor do Bolsonaro? 2º – Ele não quebrou sigilo, pois não se identificou junto ao voto. – 3º A PF não tem coisa mais importante para investigar? Ex: As urnas fraudadas

  3. Enquanto isso, uma quantidade incontável de armas atravessa a fronteira para o lado de cá. Mas a Polícia Federal vai dizer que é um problema da Receita Federal. Cada um com suas prioridades.

  4. Mais curioso ainda: como a PF e o raul junkman pretendem identificar o eleitor? Violando a lei eleitoral e a Constituição Federal que garantem o SIGILO de voto? Vão inquerir todos os eleitores?

  5. Ele não violou o sigilo de voto, pois ninguém sabe quem é o eleitor. Só sabemos que é eleitor de Bolsonaro por causa da arma. Se fosse eleitor do Haddad, estaria empunhando uma AK-47

  6. Gostaria de ver tal empenho em descobrir quem mandou o terrorista dar uma facada em Bolsonaro, se não podem ou não conseguem passem a missão para a Policia Civil de Minas….demonstrem dignidade. .

  7. não deveria existir crime de porte de arma, deveria ser como no passado apenas contravenção, vejam só o vagabundo não tem problema algum, quem vai me devender do Estado? vejam a venezuela

    1. Esse segundo turno “fabricado” é como se dissessem: perdemos, mas vai ter que jogar de novo, no nosso campo, com a nossa bola, com nosso trio de arbitragem. E sem VAR.

  8. Com tanta denúncia de fraude e mais coisa pra se ocupar, a PF vai atrás do eleitor que mostrou uma arma na cabine. Provavelmente inclusive quando estavam testando as urnas. É brincadeira.