O funcionário da OAS

A OAS comprou as cozinhas de Lula.

Foram um presente desinteressado, claro. Tão desinteressado que a empreiteira fez questão de desaparecer.

O depoimento do funcionário da Kitchens, obtido pelo Estadão, mostra que o caminho do dinheiro da OAS até Lula foi cuidadosamente apagado.

Um executivo da empreiteira, Paulo Gordilho, encomendou as cozinhas e fez os pagamentos em espécie, para eliminar todos os rastros.

Em seguida, mandou preparar a nota fiscal com os dados de Fernando Bittar, o laranja de Lula.

Diz o depoimento:

“Para a empresa Kitchens, o tal Fernando Bittar seria um diretor da OAS, uma vez que o projeto inicial e o orçamento foram solicitados pela OAS, além da intermediação e pagamento”.

E quem disse que Fernando Bittar não é laranja de um funcionário da OAS?