Em 2007, Bolsonaro defendeu decisão do STF para obrigar Câmara a abrir CPI

Em 2007, Bolsonaro defendeu decisão do STF para obrigar Câmara a abrir CPI
Foto: Alan Santos/PR

Quando era deputado federal, Jair Bolsonaro defendeu, em 2007, a decisão do STF de obrigar a Câmara a instalar a CPI do Apagão Aéreo —hoje, o presidente atacou a decisão de criar a CPI da Covid.

“Eu espero que o Supremo tenha, apesar do que eu falei aqui, é o Supremo… espero que tenha uma decisão lá voltada para a razoabilidade e deixe instalar a CPI”, disse Bolsonaro em entrevista à TV Câmara veiculada naquele ano.

A CPI do Apagão Aéreo pretendia investigar a crise no sistema aéreo brasileiro, na esteira da comoção causada pelo acidente entre um Boeing da Gol (vôo 1907) e um jato Legacy, que deixou 154 mortos em setembro de 2006.

O presidente, na época, era Lula, e quem presidia a Câmara era o petista Arlindo Chinaglia —que, assim como Rodrigo Pacheco agora, se recusava a instalar a CPI, apesar de ela atender aos requisitos da Constituição e do regimento da Casa.

A oposição, composta então por PSDB, PPS (atual Cidadania) e PFL (hoje DEM), recorreu ao STF, e a comissão só foi instalada após decisão do Judiciário.

 

Leia mais: O impeachment de Bolsonaro entra na agenda.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO