ACESSE

"Em alguns ministérios tem gente deles aqui dentro, né?", disse Bolsonaro sobre a China

Telegram

Na reunião de 22 de abril, Bolsonaro admitiu ser “uma realidade” a espionagem chinesa no governo.

A transcrição liberada pelo STF tem alguns trechos tarjados, mas fica óbvio pelo que é dito antes que Bolsonaro está falando da China.

Confira:

“E informação é assim. Eu tava vendo, estudando em fim de semana aqui como é que o serviço chinês, secreto, trabalha nos Estados Unidos. Qual a preocupação nossa aqui?

(…) É uma realidade. Não adianta esconder mais, tapar o sol com a peneira, né? Tem, não é … em vá … em alguns ministérios tem gente deles ~ aqui dentro, né? Então não queremos brigar com XXX, zero briga com a XXX. Precisamos deles pra vender? Sim. Eles precisam também de nós. Porque se não precisassem não estariam comprando a soja da gente não. Precisam. E é um negócio, pô. E devemos aliar com quem tem umas . .. alguma afinidade conosco. Pra gente poder faz … fazer valer a nossa vontade naquele momento. Não adianta se esconder aqui, depois tem um problema, daí liga pro tio, “Ô tio”. Vou falar: “Pô cara, você me ignorou até hoje!” . Você só não me chamou de imperialista, igual à esquerdalha e o FHC falavam no passado, no resto … agora não dá mais. Então essa é a preocupação que temos que ter. A questão estratégica, que não estamos tendo. E me desculpe, o serviço de informações nosso, todos, é uma … são uma vergonha, uma vergonha! Que eu não sou informado!”.

Leia também: Bolsonaro mandou investigar Witzel?

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 15 comentários