“Em ano eleitoral, é difícil passar uma legislação controvertida”

Foi o que disse Lisa Schineller, diretora executiva da Standard & Poor’s, ao Estadão, sobre a possibilidade de a reforma da Previdência ser aprovada em 2018.

Ela esclareceu que isto “vale para todos os países que analisamos rating soberano e também deve ser o caso do Brasil, com o início da corrida presidencial”.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Cleide disse:

    O verdadeiro culpado do rebaixamento da nota do Brasil e da dificuldade de votação da nova legislação da Previdência (e - em consequência - por uma vida mais difícil para o futuro de todos os brasileiros) está tranquilo num canto e - INCRIVELMENTE! - ninguém o culpa: Foi Janot, que na sua perseguição cega a Temer, em conluio com a quadrilha da JBS, para que pudesse colocar na PGR um apaniguado seu, criou as acusações contra Temer na hora errada. Sem isso, todo o esforço para a defesa das duas acusações seria usado para a votação da Previdência e o Brasil teria um futuro bem melhor pela frente. Impressionante não é esse fato. É o silêncio de todos sobre isso, Só a história marcara Janot como o homem que, na crise, destruiu o futuro do Brasil e de seus jovens que hoje estão à deriva.

Ler comentários
  1. J.Pinto disse:

    Não existe controvérsia alguma e ela está careca de saber, porque ela defende a banca. Só vai existir déficit da Previdência quando revogarem as leis-complementares que instituíram o Pis/Pasep e a Cofins e a lei que instituiu a CSLL. Aí, sim , vai aparecer um rombo anual de 45% entre o arrecadado com TODAS as contribuições em relação a TODOS os gastos efetuados, incluído aí, TODAS as bolsas existentes!!! O resto é conversa de quem não entende patavina e acha que funcionário público que tem 11% retido na fonte TODOS os meses faz a diferença nesta conversa-mole.

  2. zozimo77 disse:

    Estranho que no desgoverno Dilma estava tudo bem para eles. Na época de Lula e sua política econômica insustentável então, o país era uma maravilha, até grau de investimento conseguiu. Essa agências de risco não são as mesmas que "salvaram o mundo" em 2008? Acho que a esquerda aparelhou até as agências de risco.

  3. Ticu Soares disse:

    O maior culpado é Rodrigo Enganot! E aí quando irão prender esse petralha de carteirinha? Um picareta que no início da operação Lava Jato teve a pachorra de falar, " passeia a régua, e graças a deus ( o dele não merece maiúsculo), nem Lula, nem dilma estão envolvidos nesses atos de corrupção" Os antagolixos de certa forma também são culpados, pois fizeram de tudo para induzir seus comedores de alfafa, que nós, pessoas razoáveis e ponderadas fôssemos Mav do Temer Que os antagonistas parem de agir como jacobinos e comecem a agir como brasileiros razoáveis e ponderados Nós tiramos Dilma, nós defendemos Temer, nós nunca nos iludamos com Bolsonaro, assim como também, nunca tivemos bandidos de estimação, é a prova mais concreta é que tudo que Enganot apresentou, nada até agora foi provado

  4. Clovis Vicente Norberto Felix disse:

    Vai ficar para que o próximo que governo proponha uma "negociação" com o congresso.

  5. PETULANTE disse:

    Com todo respeito à Ilma. Sra. Diretora Executiva (!) da S&P, mas seus "comentários controvertidos" passam um viés petralha!

  6. vingador do povo brasileiro disse:

    Por que o governo não cumpre sua promessa e acaba com todos os cargos comissionados e funções gratificadas que sugam o orçamento de estatais como Conab, Embrapa (maior despesa direta do Tesouro), Serpro, Petrobras, Eletrobras, etc ?

  7. Parlamentar no Brasil numa Legislatura de 48 meses só trabalha efetivamente 8 meses! O resto é pura vadiagem! disse:

    Parlamentar no Brasil só trabalha de terça-feira à quinta-feira. Tem férias duas vezes por ano. Emenda todos os feriados, Carnaval, Semana Santa... Volta e meia estão em “missões” no exterior. E ainda resolveram que em ano eleitoral nada sério pode ser discutido, votado e aprovado. Ou seja, de dois em dois anos não se aprova nada nesse país. Nos dois anos restantes, quatro meses são férias e mais 4/7 do tempo é sem fazer nada(13 meses). Somando tudo, em 48 meses da legislatura, um parlamentar só produz efetivamente 8 meses, o resto é férias, recesso e vadiagem! Um parlamentar custa 33 mil por mês, tem 25 aspones pendurados no gabinete, carro, chofer, segurança armada, passagens de avião, gasolina gratuita, celular, apartamento funcional, etc... É muito dinheiro jogado no lixo!

  8. FHC eleito em 1º Turno disse:

    Fev/94 - MP 434 dá início ao Plano Real. Mar/94 - Fundo Social de Emergência é aprovado. Mai/94 - Unidade Real de Valor (URV) é aprovada. Jul/94 - Real entra em vigor como moeda oficial. Out/94 - Eleição Presidencial

    1. Meu caro, com a inflação dá época qualquer coisa seria aprovada.

    2. Amigo, Temer é um presidente mais fraco que Itamar Franco. Ele não tem mais R$$ pra comprar parlamentares, gastou tudo com as duas denúncias do Janot.