Em carta a deputados, Chorão pede retirada de urgência da BR do Mar

Em carta a deputados, Chorão pede retirada de urgência da BR do Mar
Foto: Eduardo Knapp/Folhapress

A Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava) enviou uma carta a deputados para pedir a retirada da urgência da BR do Mar, projeto de Tarcísio Freitas para abrir o setor de cabotagem.

No texto, assinado por Wallace Landim, o Chorão, a Abrava defende a necessidade de se aperfeiçoar a legislação sobre a cabotagem, mas sustenta que a proposta “não pode significar o esmagamento da categorias dos caminhoneiros autônomos”.

“Gostaríamos frisar que o transporte em longas distâncias representa uma fatia do mercado de transporte rodoviário extremamente relevante para os autônomos, com uma perda estimada em cerca 40% dos seus trabalhos.”

O Ministério da Infraestrutura disse a O Antagonista que os dados são “falsos” e que a categoria não será prejudicada em 40%.

Na carta, Chorão destaca que a BR do Mar aumentará a concentração de mercado para as empresas estrangeiras que já dominam o setor de cabotagem no Brasil.

“Não podemos admitir ficar nas mãos de poucas empresas, levando nosso transporte rodoviário ao controle de estrangeiros. Essas conteineiras estrangeiras são dominantes e querem ter controle de toda cadeia, seja dos terminais portuários, dos despachantes aduaneiros, dos práticos, dos rebocadores, do transporte rodoviário e de tudo que puderem.”

A BR do Mar tramita na Câmara com urgência e tranca a pauta da Casa desde setembro. Ricardo Barros, como mostramos, quer votar o texto nesta quarta (18). Antes, o líder tenta um acordo com líderes partidários.

Em nota, o Ministério da Infraestrutura afirmou que as afirmações de Chorão são “falsas e sem nenhum amparo técnico”.

“Não há qualquer relação entre a abertura do setor de cabotagem com uma suposta concentração do mercado rodoviário de cargas. A lógica por trás do projeto caminha no sentido inverso: atrair novas empresas para o setor amplia o mercado de contratação para caminhoneiros autônomos, uma vez que a cada nova linha de cabotagem, duas novas linhas rodoviárias são criadas e a competição entre empresas do setor tende a ampliar a demanda sobre o transporte complementar.”

Mais lidas
  1. PDT acusa Bolsonaro de peculato por compra de leite condensado

  2. O bolsonarista Eduardo Cunha

  3. O Pazuello da Economia

  4. Justiça Federal suspende distribuição da vacina de Oxford em Manaus

  5. ENTREVISTA: Wilson Lima diz que Pazuello ajuda a 'agilizar demandas', mas que 'ainda falta oxigênio'

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 40 comentários
TOPO