Em carta, Bolsonaro pede a presidente da Angola proteção a pastores

Jair Bolsonaro enviou uma carta ao presidente da Angola, João Manuel Lourenço, pedindo proteção a pastores da Igreja Universal do Reino de Deus, informa a Crusoé.

No documento, Bolsonaro atribui a ex-integrantes da igreja a responsabilidade por denúncias que levaram a operações policiais contra integrantes da denominação.

“Os aludidos atos de violência são atribuídos a ex-membros da Igreja Universal do Reino de Deus, que também têm levantado acusações e, com isso, motivado diligência policiais na sede da entidade e nos domicílios de seus dirigentes”, escreveu Bolsonaro.

E completou:

“Julgamos ser preciso evitar que fatos dessa ordem voltem a produzir-se ou sejam caracterizados como consequências de ‘disputas internas’. Há perto de 500 pastores da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola e, desse universo, 65 são brasileiros.”

Leia a reportagem completa aqui.

Leia mais: Um governo doente. Clique para ler mais
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO