Só em caso de prisão

O relator Edson Fachin, primeiro ministro a votar no caso Aécio Neves, diz que Congresso só precisa dar aval a decisões do STF em caso de prisão de parlamentar (por crime inafiançável e em flagrante).

No caso de determinação de recolhimento noturno ou afastamento do mandato, por exemplo, o Supremo é soberano para decidir, na avaliação de Fachin.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Ler mais 14 comentários
    1. Quem deveria ter mais poder? O ministro do STF, escolhido e nomeado pelo presidente da república de plantão, ou o parlamentar, eleito PELO VOTO POPULAR?

    2. o STF nao pode afastar parlamentar isso naoe sta previsto na lei, hoje é o senador acusado de corrupção, mas ainda em investigação, amanha pode ser um inimigo politico,

    3. kkkk, triplo carpado com twiste e twix, cara que bagunça e o pior, o STF, está perdido, todo voto será político que ridiculo.
      Sabe o que vai acontecer, vão dar munição ao senado… e com isto Renan,Aecio.Grise.Humberto e etc vão se da bem, é muita presepada junta

    4. Na prática, quando o STF manda AFASTAR o parlamentar, está CASSANDO o mandato dele, pelo menos pelo período em que está afastado! E é justamente aí que mora o “pobrema” seu Fachin!

    5. Dizer que o mandato autoriza o parlamentar a cometer crimes em nome do povo é uma ofensa aos brasileiros. Seríamos um bando de masoquistas. Coragem, STF!

    6. Não importam os argumentos, ele será vencido categoricamente pois tudo já está estabelecido neste balet esdrúxula que dançam os ilustres ministros do STF. Tudo combinado: voto de cada um, placar final, quem abre divergência, etc. Nada de novo no front.

    Os comentários para essa notícia foram encerrados.